Shares

A birra é muitas vezes a forma que a criança tem de expressar a sua vontade. A maioria das crianças entre os 18 meses e os 4 anos têm birras por vezes tão descontroladas que deixam os seus pais sem saber como agir. É também nesta fase que as crianças testam ao máximo os limites dos seus pais. Esta etapa da ‘afirmação do eu’ faz parte do crescimento normal da criança, da conquista de uma identidade própria. A criança pensa que tudo existe em função dela, está por isso na fase do egocentrismo.

Como ajudar a controlar as birras?

Os pais que muitas vezes se culpabilizam e se interrogam sobre a sua capacidade em saber se são bons pais, tentam equilibrar entre as regras e firmeza necessárias para lidar com essas situações concomitantemente com a compreensão e afeto indispensáveis.

A birra tem a função de permitir que a criança liberte os seus sentimentos e cabe aos adultos ensinar a criança a libertar-se desses mesmos sentimentos de uma forma mais controlada, funcional e por isso mais saudável.

Em primeiro lugar, não se oponha se não tiver a certeza que será capaz de ir até ao fim. Se decidir enfrentar a birra, terá que agir com calma e firmeza. É importante que os pais aprendam a não ter receio de dizer ‘não’, deixando bem claro que o amor que sentem pelos filhos é incondicional. A disciplina é também uma forma de amor.

As regras são fundamentais. Aprender que tudo tem limites abre caminho para um convívio saudável com os outros e para uma boa integração na sociedade. Só com firmeza as crianças aprendem a respeitar as regras propostas pelos pais. No mundo em que vivemos, que se rege por regras, o melhor é aprender a aceitá-las logo desde pequenino.

Expresse empatia e mostre-lhe que compreende o que ela está a sentir. Ensine-a que os sentimentos têm nome e que é normal sentir-se daquela forma e depois mostre-lhe formas positivas de lidar com o que está a sentir.

Toque no seu filho numa tentativa de o reconfortar. É importante que o ensine que as birras não farão mudar a opinião dos pais e que o seu amor por ele não se alterará.

Tome medidas preventivas pois se a criança estiver com sono ou com fome tenderá a estar mais irritada o que por si só irá gerar uma birra.

Mude o foco. Por vezes a criança apenas precisa de se focar noutra coisa para que assim reduza os seus níveis de ansiedade por forma a não fazer uma birra. Na hora da birra, a criança fica incapaz de se controlar e de escutar o outro. Se a distrairmos com algo que lhe capte a atenção ou a retirarmos daquele contexto, poderá ser o suficiente para que se acalme.

Após a birra, felicite-a por se ter decidido pelo bom comportamento.

Se as birras persistirem após os 5 anos de idade ou se se tornarem incontroláveis e/ou geradores de grande incapacidade quer para a criança quer para os seus pais deverá procurar a ajuda de um especialista.

 

 


Artigo escrito por Joana Teles, Psicóloga Clínica na Cintramédica

 

 

 

Marque a sua consulta Conheça o médico

Shares