Shares

As infeções sexualmente transmissíveis (IST), anteriormente designadas por DST – doenças sexualmente transmissíveis, são infeções contagiosas cuja forma mais frequente de transmissão é através das relações sexuais (sobretudo vaginais, orais e anais). Todas as pessoas têm uma vida sexual ativa e o fazem de forma desprotegida devem ter em consideração os perigos que correm, uma vez que na maioria das vezes desconhecem os antecedentes do parceiro.

Ter uma relação esporádica sem conhecer a história clínica do parceiro deve servir como final de alerta, pelo que não se deve ficar à espera do aparecimento de sintomas nos órgãos genitais. Assim, a prática de sexo mais seguro é a melhor forma de prevenir a infeção.

Principais infeções sexualmente transmissíveis:

  • VIH/SIDA

O VIH encontra-se principalmente no sangue, no sémen e nos fluídos vaginais das pessoas infetadas. A transmissão do vírus ocorre quando os fluídos corporais entram diretamente em contacto com o corpo de outra pessoa, seja por via sexual ou sanguínea. Comportamentos sociais como abraçar, beijar, apertar a mão ou beber pelo mesmo copo de uma pessoa infetada não constitui risco de transmissão.

  • VÍRUS DO PAPÍLOMA HUMANO – HPV

O HPV é um é um vírus que pode ser transmitido durante o ato sexual ou através do contacto íntimo da pele entre pessoas. Existem vários tipos de HPV que provocam diferentes sintomas. Enquanto alguns tipos podem infetar a área anogenital, outros infetam áreas como os pés ou as mãos. A ação do vírus sobre as células da pele provoca a formação de tumores, a maioria deles pequenos e benignos, tais como as verrugas ou “cravos”. No entanto, quanto a área infetada é a mucosa do colo do útero, da vagina, do pénis ou do ânus, o vírus pode induzir a formação de tumores benignos e/ou malignos, provocando o cancro do colo do útero ou do ânus.

  • CHLAMYDIA

A Chlamydia é uma infeção bacteriana que se transmite por via sexual e também de mãe para filho. Considerada a IST mais comum, pode afetar o pénis, a vagina, o colo do útero, a uretra, a garganta ou os olhos.

  • GONORREIA OU BLENORRAGIA

Conhecida popularmente por “esquentamento”, a Gonorreia pode afetar o pénis, a vagina, o colo do útero, a uretra, o ânus ou a garganta. Apesar de poder ser transmitida de mãe para filho durante o parto, a sua via de transmissão principal é a sexual.

  • HEPATITE B (VHB)

A Hepatite B é provocada por um vírus muito contagioso que ataca o fígado e pode causar doença aguda ou crónica. As principais vias de transmissão são o contacto com sangue infetado e as relações sexuais desprotegidas.

  • SÍFILIS

É uma infeção causada por uma bactéria chamada Treponema Pallidum que pode aparecer nos orgãos genitais, na uretra, no ânus, no colo do útero, nos lábios e na boca. Na maioria dos casos é assintomática, ou seja, não tem sintomas visíveis durante algum tempo, o que dificulta o seu diagnóstico e o tratamento adequado.

  • HERPES GENITAL

O Herpes pode ser causado por dois tipos de vírus: o Herpes Simples do tipo 1, que causa lesões na mucosa oral, e o Herpes Simples do tipo 2, que causa lesões nos órgãos genitais e no ânus.

  • TRICOMONÍASE

É uma infeção causada pelo parasita Trichomonas Vaginalis e transmite-se pelo contacto sexual. A pessoa pode estar infetada e não apresentar sintomas, embora seja frequente a alteração do corrimento vaginal.

Quais os sinais e sintomas?

Embora algumas infeções não apresentem sintomas durante algum tempo, existem sinais que podem alertar para a existência de uma IST:

  • Corrimento vaginal anormal, frequentemente com mau cheiro ou corrimento uretral
  • Presença de vermelhidão, manchas brancas, bolhas, verrugas ou vesículas nos órgãos genitais ou à sua volta, no ânus ou na boca
  • Alteração de textura e/ou de cor nas unhas e/ou na pele ao seu redor
  • Dor ou sensação de queimadura ao urinar
  • Dores difusas no baixo ventre
  • Sensação de dor ou queimadura durante as relações sexuais

Contudo, existem infeções que provocam sintomas apenas no homem e outras somente na mulher. O tratamento deve ser sempre feito aos dois parceiros envolvidos na relação sexual, mesmo que não existam sintomas.

Principais métodos de prevenção:

  • Use o preservativo
  • Sempre que sinta um incómodo ou observe lesões na zona genital procura a ajuda de um médico
  • Quando diagnosticada uma IST informe as pessoas com quem teve sexo nos últimos tempos

Consulta Relacionada

Shares