Shares

A pneumonia é uma doença infecciosa que consiste na inflamação aguda do tecido pulmonar (alvéolos e bronquíolos), ou seja, da zona onde se dão as trocas gasosas, essenciais para a vida humana. Na pneumonia os alvéolos e os bronquíolos ficam cheios de líquido resultante da inflamação, a capacidade de realizar trocas trocas gasos fica comprometida e a elasticidade do pulmão reduzida, aspetos que dificultam a respiração. Habitualmente a pneumonia tem uma causa infecciosa, bacteriana ou não, e pode ser adquirida na comunidade ou em ambiente hospitalar / cuidados de saúde.

Principais sintomas

Os sintomas da pneumonia são muitas vezes idênticos aos de outras doenças respiratórias, pelo que nem sempre permitem um diagnóstico imediato. Os mais comuns são:

• Febre elevada;
• Arrepios de frio;
• Tosse com ou sem expectoração purolenta;
• Dor torácica;
• Dores musculares;
• Dor de cabeça;
• Dificuldade respiratória.

Nos idosos os sintomas são menos típicos, podendo manifestar-se somente pela descompensação de outras patologias.

Quais as causas da Pneumonia?

A pneumonia pode ser causada por vários agentes infecciosos, nomeadamente, bactéria e vírus. Os agentes mais comuns são:

• Streptococcus pneumoniae
• Haemophilus inlfuenzae type b
• Mycoplasma pneumoniae

A gravidade da pneumonia, assim como a ocorrência de complicações, depende de vários fatores dos quais se destaca a idade, presença ou não de outras patologias, estado imunitário do indivíduo e agente etiológico.

Quais os Grupos de Risco?

• Pessoas acima dos 65 anos
• Crianças muito novas
• Portadores de doenças crónicas como a diabetes, doença pulmonar obstrutiva crónica, doença cardiovascular ou insuficiência renal
• Fumadores e pessoas dependentes de álcool ou drogas
• Pessoas que residem em lares ou casas de repouso

Diagnóstico e Tratamento

Tratando-se de uma doença aguda, a pneumonia pode ter uma evolução imprevisível e um espectro de gravidade muito amplo. É importante uma avaliação médica precoce (médico de família ou serviço de atendimento urgente), para avaliação inicial e decisão do melhor tratamento.

Na maioria dos casos (80%) o tratamento é feito em ambulatório, mas em situações mais graves, em que a evolução da pneumonia não decorre de modo favorável nas primeiras 48 a 72 horas pode ser necessário o internamento.

Os antibióticos são a base do tratamento da pneumonia, contudo, os mais adequados variam de acordo com a gravidade dos sintomas, presença de outras patologias concomitantes, local de tratamento e local de aquisição da infeção (comunidade ou hospitalar). Na ausência de melhoria clínica ou agravamento dos sintomas, pode ser necessário reavaliar e reajustar a medicação.

Medidas de Prevenção

A vacinação antigripal anual e a vacinação pneumocicoca são importantes na prevenção da pneumonia.

A prática de hábitos de vida saudáveis, tais como deixar de fumar, pratica regular de exercício físico, diminuição do consumo de álcool e alimentação saudável, assim como, o adequado controlo das doenças crónicas e a utilização criteriosa da terapêutica imunossupressora, são outros dos aspectos essenciais para prevenção da pneumonia.

Shares