Shares

Sabia que quatro em cada cinco mulheres pode vir a ter cancro do colo do útero?

O cancro do colo do útero é a consequência mais grave da infeção pelo HPV – Papiloma Vírus Humano e atinge cerca de 75% das mulheres. O HPV é responsável por 99% dos casos deste tipo de cancro e, aliado ao facto de esta ser uma doença silenciosa, faz com que a realização do rastreio seja fundamental para identificar de forma precoce a doença e permitir o seu tratamento.

Fatores de risco:

HPV – Papiloma Vírus Humano: é um vírus que infeta a pele e as mucosas e a infeção é transmitida através do contacto sexual. Uma vigilância adequada em consultas de ginecologia, ajuda a detetar a existência de células afetadas com o vírus e o seu tratamento pode evitar o desenvolvimento do cancro do colo útero.
Idade: O cancro do colo do útero ocorre com maior frequência a partir dos 40 anos de idade;
Histórico sexual: As mulheres que tenham um número elevado de parceiros sexuais ocorrem um maior risco de contraírem a doença;
Tabagismo: As mulheres fumadoras com infeção por HPV apresentam um risco acrescido de contrair cancro.

 

 

Sintomas

No estádio inicial do cancro do colo do útero a mulher não sente qualquer tipo de dor, sendo por isso importante consultar o seu médico de forma regular. Só numa situação mais avançada é que começam a surgir os primeiros sintomas da doença, altura em que o tratamento poderá ser mais complexo.
Principais sintomas que afetam as mulheres:

• Aumento do corrimento vaginal;
• Dor durante as relações sexuais;
• Hemorragia entre períodos menstruais regulares;
• Hemorragia vaginal anormal;
• Hemorragia após relação sexual;
• Hemorragia após a menopausa;

Em alguns casos estes sintomas podem estar associados a infeções ou outros problemas de saúde e só o médico poderá fazer essa avaliação.

Shares