Shares

A fonte energia para a voz é o ar e apesar da complexidade, não deixa de ser importante e especial para todos os profissionais de voz.

Mas como respiramos adequadamente para usar a voz sem esforço?

Ao inspirarmos pelo nariz, o ar desce pela faringe, laringe, traqueia, brônquios até chegar aos pulmões. Esta entrada de ar deve-se ao facto de o diafragma se rebaixar, para os pulmões se preencherem de mais ar. Outros músculos também atuam neste processo.

Na expiração o diafragma relaxa e volta à sua posição de repouso. Mas para a voz profissional, é necessário controlar este processo complexo. Há um maior controlo de fluxo de saída de ar, para que o uso da voz possa ser mais intenso. Neste caso a expiração torna-se ativa e controlada pelo treino dos músculos.

Para a voz profissional é necessário o controlo e gerar mais pressão de acordo com a necessidade vocal. Neste processo ocorre uma sustentação à coluna de ar bem preciso. São propriedades fulcrais para os profissionais de voz poderem desenvolver e explorar da melhor maneira possível e mais segura. São eles os cantores, professores, educadores, atores, cantores, todos os que usam a sua voz como ferramenta ativa.

Dicas e orientações:
• Educação vocal: Procure um terapeuta da fala para uma boa orientação e exercícios para exercitar a voz.
• Pigarrear: o pigarrear causa atrito nas pregas vocais, que contribui para agressões e irritações nas mesmas
• Após usar a sua voz muito intensivamente, o repouso vocal é necessário para descanso das pregas vocais
• Sussurrar é um ato agressivo pois gera tensão, fale com sonoridade normal
• Não existem misturas milagrosas para recuperar a voz quando está num processo de rouquidão, por lesões geradas, ou outras formas e principalmente por abuso vocal.

 

 

Artigo escrito por Marta Santos, Terapeuta da Fala na Cintramédica

 

 

 

Marque a sua consulta Conheça o técnico

Shares