Shares

Os antibióticos são medicamentos utilizados para o tratamento de infeções causadas por bactérias (seres vivos microscópicos que se multiplicam). Na sua maioria, as bactérias são inofensivas ou causam doenças ligeiras. São também utilizadas na produção de queijos e iogurtes.

Quando o antibiótico atua sobre as bactérias sensíveis aos seus compostos, essas acabam por morrer. Porém, ao multiplicarem-se, as bactérias podem sofrer mutações e tornar-se resistentes a esse antibiótico, dando origem a novas bactérias resistentes, tornando o processo de controlo e tratamento da infeção mais difícil. As bactérias podem também ser multirresistentes – resistentes a vários antibióticos.

Quanto maior a frequência de uso do antibiótico, maior probabilidade de resistência à sua ação. De facto, o uso indevido de antibioterapia bem como um pobre controlo e prevenção de infeção no contacto repetido com pessoas ou ambientes contaminados, representam as principais causas da resistência aos antibióticos.

Como ocorre a transmissão de bactérias resistentes?

  • Pelo contacto direto com animais que foram tratados com antibióticos e as bactérias desenvolveram resistência
  • Consumo de alimentos contaminados com bactérias resistentes, por exemplo através do estrume animal quando cultivados
  • Contacto direto com outras pessoas que estejam contaminadas por bactérias resistentes a antibióticos tanto em meio hospitalar como na comunidade
  • Viajantes que regressam de países onde a prevalência de bactérias resistentes a antibióticos é elevada, podem ser portadores e importar as bactérias

O que fazer?

É essencial tomar medidas para combater este problema, quer a nível profissional no âmbito da saúde, quer a nível comportamental por parte da sociedade em geral. A prescrição da terapêutica adequada para as infeções por bactérias resistentes a antibióticos torna-se difícil pelo obstáculo que causam ao não serem sensíveis ao medicamento em questão, aumentando o risco de complicações ou até a morte (Organização Mundial de Saúde, 2018).
A importância da prescrição dos antibióticos centra-se na indicação específica para cada infeção. Quando o médico prescreve um antibiótico deve ter em consideração diversos aspetos, tais como: o tipo de infeção, os sintomas e sinais apresentados pelo indivíduo, recorrência. Existem também orientações próprias, que suportam as decisões tomadas pelo profissional de saúde na escolha do antibiótico a prescrever.

Como prevenir infeções e a resistência aos antibióticos, como cidadãos:

  • Usar apenas antibióticos prescritos por profissionais de saúde certificados
  • Se tem febre, dores musculares e dores de cabeça, não tome logo antibiótico. A febre pode ser de origem viral e habitualmente não dura mais do que 3 a 4 dias. Em dúvida deve sempre consultar um profissional de saúde
  • Seguir sempre as instruções de uso do antibiótico como a dose e frequência
  • Pergunte sempre para que infeção foi prescrita o antibiótico
  • Nunca partilhar ou usar restos de antibiótico de ocasiões anteriores. Se lhe sobrou medicação, deve sempre devolver ao seu farmacêutico
  • Atualizar vacinação
  • Prevenir infeções através da correta lavagem das mãos, evitar contacto próximo com pessoas com infeções
  • Se estiver doente, é também importante utilizar lenços de papel quando espirra ou tosse
  • Preparar comida de forma segura (separar alimentos cozinhados dos crus, armazenar alimentos à temperatura adequada e cozinhar bem o peixe e a carne)

Existem motivos pelos quais os antibióticos são prescritos duma determinada forma. Cumpra a prescrição, “Tome antibióticos de forma responsável” – Direção Geral de Saúde, 2017.

Referências bibliográficas:

  • Organização Mundial de Saúde, 2018 – Antibiotic Resistance. Consultado em: http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/antibiotic-resistance
  • BACTÉRIAS RESISTENTES A ANTIBIÓTICOS Uma ameaça à segurança dos doentes hospitalizados. Consultado em: file:///C:/Users/Geral/Desktop/Downloads/i023001.pdf
  • Direção Geral de Saúde, 2016 – Como ocorre a transmissão da resistência aos antibióticos?. Consultado em: file:///C:/Users/Trabalho/Downloads/i022972.pdf
Shares