Shares

Com a chegada do Inverno surge a questão da sua influência no estado emocional de cada um. De facto, a influência que as estações do ano têm em nós como seres humanos é subjetiva e varia consoante a nossa localização no globo. Para quem o Inverno continua a ser a estação do ano menos desejada, chega então a nostalgia e a melancolia, com saudades das férias e do calor.

Abordando cientificamente a temática, surgem conceitos como a melatonina e a serotonina (neurotransmissor e hormona respetivamente) que são responsáveis pela regulação dos ciclos de repouso e sono, humor, apetite assim como regulação do sistema imunológico. A redução da produção destes elementos nas estações mais frias pode levar a uma maior vulnerabilidade a estados de humor mais depressivos, a cansaço e fadiga e possivelmente a doenças características da época, como doenças do foro respiratório.
O facto de nos isolarmos devido às condições climatéricas, de convivermos em locais confinados e fechados, sem ventilação, propiciam a propagação de vírus e bactérias, assim como ao agravamento de alergias.

Num momento ou outro da vida, todos nós sentimos estados de humor mais depressivos, que podem ou não estar relacionados com as condicionantes das estações do ano, no entanto a depressão sazonal ou transtorno afetivo sazonal existe. Caracteriza-se por uma incapacidade de realização de atividades diárias em determinada estação do ano (estações frias/estações quentes), com falta de energia e motivação e consequentemente a um maior isolamento, fadiga e falta de concentração. O auxílio de um profissional de saúde para estabelecer um tratamento, é também essencial no sentido da prevenção cíclica desta condição.

Tanto nas estações frias como nas quentes há variáveis às quais não podemos fugir ou sequer negociar, como o frio e o calor e os eventos significativos como as férias e as épocas festivas.

No sentido de nos adaptarmos a estas mudanças de clima e rotina, podemos adotar estratégias para o ano inteiro: 

  • Respeitar o que a natureza nos oferece, optando por uma alimentação autóctone que vai também ao encontro das nossas necessidades.
  • Arejar as casas prevenindo a propagação de vírus e bactérias
  • Praticar Exercício Físico regular 150 min/semana – a boa forma física reforça o sistema imunológico
  • Procurar socializar nas estações frias para evitar o isolamento
  • Tratar por “TU” os problemas e os medos para então alterar comportamentos
  • Conhecer-se e entender os estados de humor – conhecer-se vai ajudar a perceber o que despoletou determinados estados de humor e a estabelecer objetivos
  • “Ser o agente de mudança”

Veja a época das estações frias como uma oportunidade para investir em si e focar-se para encontrar soluções e estratégias de adaptação. Não se feche em si mesmo, adote a postura de super-herói – unir as omoplatas, endireitar a coluna e por o peito para fora.

Com o inverno e as temperaturas mais baixas temos tendência a adotar uma postura mais fechada e curvada. Pouco recetiva. Lembre-se, a postura de super-herói auxilia no aumento do sentimento de auto-confiança e poder, enquanto reduz a ansiedade e o stress.

Shares