Shares

O que é a asma?

A asma é uma das doenças crónicas respiratórias mais comum e que afeta 300 milhões de pessoas em todo o mundo, de todas as idades, sendo um sério problema de saúde pública. A incidência desta doença crónica está a aumentar, sobretudo nas áreas urbanas, associada provavelmente a alterações ambientais e ao estilo de vida.

Em Portugal afeta cerca de 700.000, mas estima-se que apenas 57% dos asmáticos tenham a sua doença controlada, ou seja, cerca de 300.000 portugueses necessitam de uma melhor intervenção para controlo da doença.

Asma brônquica ou “Bronquite asmática” é definida como uma doença heterogénea, caracteriza-se pela inflamação crónica das vias aéreas e pela presença de sintomas respiratórios, tais como:

  • Sibilância (frequentemente designada como Pieira)
  • Dispneia
  • Opressão torácica
  • Tosse

Dentro da doença temos a asma não alérgica, mais frequente em adultos do que em crianças que pode ser desencadeada por fatores como exercício, stress, ansiedade, ar frio ou seco, obesidade, entre outros. E a asma alérgica, quando é desencadeada por uma reação alérgica após exposição a um alérgeno.

O que é a asma alérgica?

É o tipo mais comum de asma, especialmente em crianças. Esta doença surge quando o corpo contacta com um alérgeno (como a exposição a ácaros domésticos, animais ou fungos ou polens de plantas) e produz uma substância chamada imunoglobulina E (ou IgE), que em excesso pode originar uma inflamação nas vias aéreas, levando a uma crise ou ao agravamento da asma.

As alergias e a asma ocorrem frequentemente em simultâneo: pessoas com rinite alérgica, eczema atópico, alergia alimentar ou com histórico familiar de asma estão em risco de desenvolverem asma.

  • O eczema atópico é frequentemente o primeiro sinal de que uma criança tem um fenótipo atópico e que pode desenvolver rinite ou asma quando crescer
  • A sibilância na criança evolui frequentemente para asma se estiver presente um fundo alérgico
  • 75% dos adultos com asma tem rinite alérgica
  • 50% dos doentes com rinite alérgica têm asma
  • O tratamento da rinite pode melhorar os sintomas de asma, em especial a tosse.

Como saber se a sua asma é ou não alérgica?

  • Teste de alergia na pele (prick test): um profissional de saúde aplica pequenas quantidades de alérgenos na pele e mede a reação alguns minutos depois.
  • Exame de sangue (teste IgE total ou específica):esse exame é capaz de avaliar a presença da imunoglobulina E (ou IgE) no sangue após o contato com um alérgeno específico.

Como identificar se sofre de asma?

Pode ter asma se tiver episódios recorrentes de tosse, pieira, falta de ar e sensação de aperto torácico. As queixas podem ser desencadeadas por constipações, exposição a fumo do tabaco, poluição e/ou exposição a alergénios como ácaros, pólenes, animais, fungos, etc.

A asma alérgica é uma doença crónica mas controlável

O objetivo do tratamento é o controlo total da asma. Uma asma controlada significa ausência de sintomas diurnos ou noturnos, ausência da faltas à escola ou ao trabalho, boa capacidade para realizar exercício físico e ausência de crises com necessidade de recurso ao hospital. O importante é reconhecer e tratar a doença.

A maioria dos doentes asmáticos pode estar controlada com medidas ambientais e medicação. Muitos tratamentos eficazes para a asma estão disponíveis no mercado, mas o controlo dos fatores desencadeantes alérgicos e das doenças associadas, como a rinite alérgica, são um passo essencial para o controlo da asma.

A melhor forma de lidar com os alergénos é evitando-os, embora por vezes seja complicado porque estes estão por toda parte. Por isso é importante conhecer quais são os alérgenos que desencadeiam a sua asma alérgica – para que possa evitá-los (na medida do possível).

 

 

Artigo escrito pela Dra. Inês Peres Claro, Médica Pneumologista na Cintramédica

 

 

Marque a sua consulta Conheça a médica

Shares