Shares

O rastreio da COVID-19 em ambiente escolar é uma medida indispensável para o controlo da pandemia. Nesse sentido, a Cintramédica foi convocada pela DGEstE (Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares) para a realização de rastreios ao SARS-CoV-2 em várias escolas. 

 

Rastreio nas escolas

O Programa de Rastreios Laboratoriais para a SARS-CoV-2 nas Creches e Estabelecimentos de Educação e Ensino da DGEstE iniciou-se, numa primeira fase, em escolas do pré-escolar e primeiro ciclo, tendo-se realizado testes de antigénio a todo o pessoal docente e não docente. A segunda fase do programa de rastreio, que teve início no passado dia 5 de abril, incluiu a testagem de todos os docentes e não docentes do 2º Ciclo e 3º Ciclo. Esta semana decorre a testagem do Ensino Secundário que abrange também os alunos. 

Os resultados das análises são comunicados individualmente a cada pessoa testada ou respetivo encarregado de educação (dos alunos do Secundário), assim como às autoridades de saúde, de modo a poderem ser rapidamente implementadas medidas de controlo da infeção dos casos positivos detetados.

 

Interesse público

O âmbito desta iniciativa, à qual a Cintramédica respondeu prontamente com sentido de missão e procura do interesse público, tem por base o rastreio num contexto de regresso à atividade escolar pós-confinamento. No entanto, e de acordo com as diretivas da Direção-Geral da Saúde, caso os agrupamentos escolares se localizem em concelhos com um número igual ou superior a 120 casos por 100 mil habitantes, este rastreio deve ser efetuado de 14 em 14 dias. 

Shares